Ouça agora na Rádio

Ouça agora

CNJ mantém aposentado juiz condenado por venda de sentenças por R$ 500 mil

Postado em 19/05/2021 por

Compartilhe agora.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) manteve a aposentadoria compulsória do juiz Wendell Karielli Guedes Simplício, que atuava em Lucas do Rio Verde (360 km da Capital). De acordo o Processo Administrativo Disciplinar (PAD) ao qual ele respondeu no Tribunal de Justiça, o magistrado teria vendido sentenças quando atuou nas comarcas de Feliz Natal e Vera entre 2004 e 2007.

Wendell Karielli Guedes Simplício é acusado de vender sentenças em duas comarcas de MT

De acordo com dados do Portal Transparência, Wendell Simplício recebe aposentadoria de R$ 16,2 mil brutos, sendo que o valor líquido em março foi de R$ 9,5 mil. Com o recurso, ele buscava voltar à ativa.

A decisão de manter a aposentadoria foi dada em sessão do CNJ realizada na tarde de ontem (18). Na sessão anterior, em 4 de maio, o relator, conselheiro André Godinho, já havia votado pela manutenção da aposentadoria compulsória, tendo sido acompanhado pelo presidente do CNJ, ministro Luiz Fux, na ocasião.

O julgamento foi interrompido por pedido de vista da conselheira Candice Galvão Jobim. No retorno, ontem, a conselheira disse que avaliou o caso com relação às questões preliminares apresentadas pela defesa do magistrado, mas acabou optando por seguir o voto do relator. Assim, a revisão disciplinar proposta por Wendell Simplício foi negada por unanimidade no CNJ.

No PAD que correu no Tribunal de Justiça, o magistrado aposentado era acusado de vender sentenças em ações que envolviam disputa pela posse da terra e também no recebimento de denúncias criminais. Wendell Simplício teria recebido R$ 539,4 mil para dar decisões favoráveis aos corruptores. Apesar de alegar que o dinheiro era da compra e venda de gado, o juiz aposentado não conseguiu comprovar a origem do recurso no PAD.

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.