Ouça agora na Rádio

Ouça agora

Em ato pelo Araguaia, presidente promete acabar com a indústria da multa – vídeo

Postado em 06/06/2019 por

Compartilhe agora.
Rdnews

&quote;&quote;

O presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) prometeu acabar com a “indústria da multa” no Brasil, ao defender as mudanças no Código Brasileiro de Trânsito (CBT) que propôs pessoalmente ao Congresso nessa terça (4). A defesa das alterações na legislação foi feita durante o lançamento do programa “Juntos pelo Araguaia”, em Aragarças (GO), na presença do governador Mauro Mendes (DEM) e de diversas autoridades mato-grossenses, na manhã de hoje (5).

“Os brasileiros não mais terão aquela máxima de criar dificuldades para vender facilidades. Vamos atendê-los naquilo que vocês precisam, naquilo que vocês merecem. Até mesmo no dia de ontem, uma medida parecendo muito simples, mas de um profundo alcance. Fui na Câmara dos Deputados, falei com o presidente Rodrigo Maia, o nosso aliado, e apresentei um projeto para que a CNH passe a sua validade de cinco para 10 anos”, lembrou Bolsonaro durante o discurso sobre preservação da bacia do Rio Araguaia.

Segundo o presidente, a medida é necessária para que o caminhoneiro que transporta o que o Centro-Oeste produz não perca sua carteira de habilitação  com 20 pontos já que a pontuação vai dobrar para 40 pontos, caso o texto seja aprovado. “Por mim, eu botaria 60 pontos. Afinal de contas, a indústria da multa vai deixar de existir no Brasil como em Goiás começou com o Caiado acabando com os radares móveis nas rodovias. Acabei de acertar com o ministro da economia Paulo Guedes de mais 1000 servidores para fiscalização nas rodovias, mas a multagem eletrônica vai deixar de existir para o bem dos motoristas do nosso Brasil”, completou o presidente da República.

No discurso, Bolsonaro ainda criticou a esquerda e afirmou que seu governo atua para unir os brasileiros. Afirmou que o principal propósito é não atrapalhar quem produz, disse que tem Deus no coração, defendeu a família e criticou a ideologia de gênero nas escolas.

Pacote

Encaminhado ao Congresso Nacional nessa terça, o projeto de lei que dobra o limite de pontuação e estende a validade da carteira de motorista também acaba com a multa para condutores que transportarem crianças fora de cadeirinhas de retenção.

Uma das alterações propostas no CTB pelo projeto de lei encaminhado ao Congresso pelo presidente Bolsonaro estabelece que condutores que não utilizarem esse dispositivo de segurança — que, pela proposta, será obrigatório para crianças de até sete anos e meio — receberá apenas uma advertência escrita, sem qualquer tipo de multa.

O projeto também prevê o aumento da validade da habilitação de idosos, de três para cinco anos.  Caso os deputados e senadores aprovem o projeto, as habilitações expedidas antes da entrada em vigor da nova norma ficarão automaticamente com o prazo de validade prorrogado.

O texto acaba ainda com a multa para condutores que guiem sem o farol baixo ligado durante o dia.    Em outra mudança polêmica, o projeto revoga a exigência de exame toxicológico para a emissão e renovação da CNH para as categorias C, D e E, o que inclui veículos de carga e ônibus.

Rdnews

Link da Notícia

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.