Ouça agora na Rádio

Ouça agora

Marinho: ajuda a MT mostra compromisso de Bolsonaro no combate às queimadas

Postado em 17/09/2020 por

Compartilhe agora.

Mato Grosso recebe mais de R$ 10 milhões do Governo federal para o combate às queimadas no Pantanal. A confirmação da ajuda financeira ocorreu no início da tarde de hoje (16), durante visita do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. O repasse, segundo ele, atende a pedido do governador Mauro Mendes (DEM) e articulação da bancada federal em Brasília.

Além do dinheiro, a União homologou hoje o decreto estadual de situação de emergência em decorrência dos incêndios florestais. A medida permite que Mato Grosso adote medida de reforço na prevenção e combate aos focos, assim como a manutenção de serviços públicos nas áreas atingidas pelo fogo.

Durante coletiva à imprensa realizada no hangar do Ciopaer, em Várzea Grande, o ministro afirmou que a ajuda a Mato Grosso serve para comprovar o compromisso da União e do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no combate às queimadas.

“Minha vinda é muito mais do que para trazer recursos e ratificar o decreto de situação de emergência. Se dá por orientação do presidente, para comprovar, de forma cabal, o compromisso do presidente e do Governo federal no combate aos incêndios e apoio para que Mato Grosso empreenda os esforços necessários e possíveis para enfrentar essa grave crise que nos encontramos”, declarou.

“Se dá por orientação do presidente, para comprovar, de forma cabal, o compromisso do presidente e do Governo federal no combate aos incêndios”

Rogério Marinho

Ainda de acordo com o ministro, a União trabalhou para dar celeridade e liberar o dinheiro requerido pelo Palácio Paiaguás dentro de 24h e garante que, caso seja necessário, o Governo federal irá ajudar com mais recursos, caso necessário.

Marinho também reforçou que a situação catastrófica no Pantanal se deve a um acumulo de fatores, como questões climáticas e acúmulo de material orgânico no bioma. Ressaltou, por fim, que o governo está disposto a debater ações de prevenção aos incêndios florestais, para que tragédias como a deste ano não voltem a ocorrer.

Com 1.650 hectares atingidos pelo fogo, o Pantanal é destaque nacional em devastação por queimadas. De janeiro a setembro, 34.558 focos de calor foram registrados por satélite no Estado. Os apontamentos são da plataforma BDQUEIMADAS. O fogo já destruiu, até ontem (13), mais de 92 mil hectares do Parque Estadual Encontro das Águas onde é registrada maior ocorrência de onças-pintadas no mundo, quanto à visibilidade. Na reserva, vivem cerca de 80 delas, agora acuadas pelas chamas.

Previsão de chuva

Em sua fala durante a coletiva, o governador Mauro Mendes (DEM) agradeceu a ajuda do Governo Bolsonaro. Explicou que o decreto só foi elaborado na segunda (14), pois, apesar de as queimadas estarem ocorrendo há mais de um mês, as equipes do governo e de outros órgãos, estavam conseguindo controlar as chamas na região.

“Quero agradecer pelo apoio que Mato Grosso recebe. Esse repasse será aplicado rapidamente e corretamente. Quero reafirmar nosso compromisso em continuar fazendo esse investimento, vamos reforçar todas as equipes e estrutura, para que possamos minimizar e evitar que esses danos continuem ao meio ambiente”, disse.

Quanto a duração do período de emergência, o governador diz que a expectativa é de que dure por até um mês e meio, quando o regime de chuvas no estado se reestabeleça. A previsão de precipitações já na próxima semana, de acordo com Mauro, deve amenizar a situação de seca, mas ainda não será suficiente para acabar com as queimadas de forma natural.

Pelo decreto está autorizada, entre outras medidas, a aquisição de bens e materiais mediante dispensa de licitação, conforme preceitua o artigo 24, IV, da Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, respeitados os requisitos constantes do artigo 26 da mesma lei, entre outros. O decreto tem duração de 60 dias podendo ser prorrogado por igual período.

Atualmente, a estrutura de pessoal utilizada em todo o Estado para o combate aos incêndios florestais é de 2.500 profissionais, entre Forças de Segurança, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, voluntários e Exército Brasileiro. No combate estão sendo utilizadas seis aeronaves, três helicópteros, maquinário e veículos de apoio oficiais e de voluntários, um total de 40 equipes.

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.