Ouça agora na Rádio

Ouça agora

Pedra 90 congrega registros de violência contra a mulher em Cuiabá

Postado em 24/08/2020 por

Compartilhe agora.

Pedra 90 é o bairro de Cuiabá que concentra mais registros de ocorrências de crimes e violências contra a mulher, segundo o Relatório Estatístico e Análise dos Atendimentos na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM), divulgado nesta quinta (20). Foram 102 ocorrências somente no ano passado. A periferia concentra mais de 22 mil habitantes e é o segundo maior bairro da Capital, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) do censo de 2010.

No pódio, também estão os bairros bairro Doutor Fábio e Dom Aquino com 66 e 59 atendimentos, respectivamente. Vem em seguida no ranking em quarto lugar e sucessivamente no Top 10 – Tijucal (57), Jardim Imperial (57), CPA 3 (56), Nova Esperança (50), Centro-Sul (45), CPA 4 (45) e Parque Cuiabá (44). Segundo o anuário, a maioria das vítimas são donas de casa, desempregadas ou estudantes, que dependem dos agressores 

O relatório destaca que os dez bairros acima concentram mais de 20% do total de ocorrências atendidas por vítima na Delegacia, mas, como há no mínimo uma ocorrência em cada comunidade da Capital, “a violência contra a mulher se encontra pulverizada”.

A grande maioria dos autores da violência é de homens, que representa 80% dos casos atendidos na delegacia, apesar da parcela significativa dos 20% restantes serem mulheres.

O crime de ameaça continua sendo o de maior incidência entre as denúncias registradas na Delegacia da Mulher de Cuiabá, com 58,9%. Em seguida vem injúria, que representa 54,4%, e lesão corporal com 16,5%. A delegada Jozirlethe Magalhães Criveletto, que há anos atua no atendimento a vítimas femininas, pontua que a maioria das vítimas não indica uma causa para a prática da violência nos boletins de ocorrência.

“A cultura machista, os valores adquiridos, a educação e os costumes estão nesse conjunto de motivações a apurar. Dessa forma, percebemos que o machismo ainda é um fator principal considerado pela vítima, seguido de sentimentos como ciúmes, de posse, de pertencimento, que somam outros 25,9% das motivações nas ocorrências atendidas”, destaca a delegada.

Além da causa passional, como destacado por Jorlizethe, álcool e drogas e ações movidas por vingança ou rixa são outras motivações que aparecem em seguida no ranking com 7,6% e 3,3%, respectivamente.

O dia da semana com mais número de ocorrências é a quarta, com 15,7%, o que representa 464 ocorrências registradas. Já o maior número dos casos atendidos foi registrado no período noturno, com 31,6%, ou 936 fatos ocorridos entre 18h e 23h59. Se somados às ocorrências da madrugada (8,9%), esse percentual alcança mais de 40% dos registros atendidos na delegacia.

Em 2019, a Delegacia da Mulher realizou 3.022 procedimentos relacionados a vítimas femininas de violência doméstica e sexual. Esse número representa 4% a mais que os atendimentos de 2018 quando foram feitos 2.914 procedimentos. Cada ocorrência pode haver mais de uma vítima feminina.

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.