Ouça agora na Rádio

Ouça agora

Polícia Civil prende mulher com celular furtado em Juína

Postado em 26/07/2019 por

Compartilhe agora.
juina news

Nos dias atuais a cidade de Juína tem sofrido com uma onda forte de furto ao patrimônio de pessoas, onde o número de furtos tem crescido de forma assustadora, e na maioria das vezes a polícia não consegue elucidar tais crimes porque geralmente ocorrem sem testemunha ocular.

A polícia civil de Juína não tem medido esforços para elucidar e prender pessoas que vem cometendo esses furtos, e o mais recente desses foi à prisão de Elizangela Gomes Evaristo Fraga, de 20 anos, que foi presa de posse de um aparelho celular produto de furto de uma residência no bairro módulo 01.

A prisão da suspeita foi feita após policiais receberem uma denuncia anônima de que Elizangela estaria de posse de um celular da marca Samsung em sua residência na Rua Cruzeiro do Oeste bairro módulo 05, onde os policiais ao chegar confirmaram a denúncia e questionaram a suspeita sobre a origem do aparelho, sendo informado aos mesmos que havia comprado de uma pessoa que não conhecia.

O celular é o mesmo que havia sido furtado na residência no bairro módulo 01, região central da cidade, onde logo após o furto os proprietários fizeram um boletim de ocorrências, fato que ajudou a identificar a origem do objeto.

Elizangela foi presa e levada a delegacia municipal onde o delegado arbitrou fiança de um salário mínimo que não foi recolhida, ficando então a suspeita detida e aguardando a audiência de custódia no fórum da comarca de Juína.

Anúncios na internet

Recentemente aparecem na internet muitos aparelhos eletros eletrônicos disponíveis a venda, e a maioria sem origem e nem nota fiscal, e foi diante de um desses anúncios de vendas que policiais civis prenderam na semana passada um senhor de posse de  um notebook furtado em uma residência, sendo que o mesmo oferecia o produto furtado nas redes sociais por um valor bem abaixo do preço, porém o mesmo foi preso e encaminhado também a delegacia municipal de Juína, onde lhe foi arbitrada fiança de três salários mínimos dando-lhe o direito de responder o processo em liberdade.

Dessa forma chamamos atenção para pessoas que pretende comprar objetos, principalmente eletrônicos oferecidos por valores muito abaixo do preço, para que verifiquem a origem dos mesmos, pois diante dos casos acima citado, ficou claro que o crime não compensa, e tanto quem furta, quanto quem compra responderá pelos mesmos crimes.

juina news

Link da Notícia

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.