Ouça agora na Rádio

Ouça agora

Achou que MT era curral eleitoral, afirma Fávaro sobre Bolsonaro lançar Fernanda

Postado em 17/11/2020 por

Compartilhe agora.

Depois das derrotas nas urnas de candidatos apoiados por Jair Bolsonaro (sem partido) neste domingo (15), o senador eleito Carlos Fávaro (PSD) decidiu demonstrar sua insatisfação com a postura do chefe do Executivo e disse que Mato Grosso não é curral eleitoral do capitão. Com 25,97% dos votos válidos, Fávaro derrotou a candidata de Bolsonaro Coronel Fernanda (Patri). Também foi derrotado o correligionário da candidata, Roberto França (Patriota), que tentou a Prefeitura de Cuiabá e recebeu, na véspera, declaração de apoio do presidente.

“Politicamente ele (Bolsonaro) errou. Achou que MT era um curral que ele chegava aqui, escolhia um nome, pinçava e falava assim: eleja esse aqui que esse vai. Mas não, o mato-grossense tem postura, tem posicionamento, analisaram os serviços prestados pela comunidade nos últimos 6 meses. Fica redobrada minha determinação em trabalhar”, disse, em entrevista na TV Centro América, na manhã de hoje (16).

Fávaro chegou a ser sondado para ocupar o lugar de vice-líder do governo no Senado após o afastamento de Chico Rodrigues (DEM), envolvido em um escândalo sob acusação corrupção. Questionado sobre o assunto, chegou a dizer que simpatizou com a possibilidade, mas que tudo ficou apenas na sondagem e não recebeu convite formal. Além disso, em seus programas eleitorais, disse que era amigo do presidente e ressaltou ter votado sempre com Bolsonaro, desde que assumiu interinamente no Senado.

“A prestação de contas dos últimos 6 meses chegou e a população teve a oportunidade de ver, analisar e escolher quem estava fazendo muito por Mato Grosso. Diferente, por exemplo, do nosso presidente. Eu faço parte da base aliada do presidente e vou continuar fazendo isso, porque faz bem para MT. Todas as mudanças, as políticas públicas que vieram favorecer os mato-grossenses, terão o meu apoio”, alerta o senador que teve 371.857 votos e se efetiva na vaga deixada pela senadora cassada Selma Arruda (Podemos).

Lives na mira do MPF

Na semana passada, o Ministério Público Federal divulgou que vai investigar as lives em que o presidente Bolsonaro pediu votos para alguns candidatos, como a mato-grossense Coronel Fernanda. As transmissões ocorreram ao vivo no Palácio da Alvorada. De 5 a 14 de novembro, o presidente pediu voto a 38 candidatos a prefeito e vereador. O MPF verifica se ele fez propaganda eleitoral ilegal durante as transmissões.

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.