Ouça agora na Rádio

Ouça agora

Homem que matou enteado degolado e esfaqueou o irmão dele de 15 anos é condenado a mais de 40 anos de prisão em Juína

Postado em 24/07/2019 por

Compartilhe agora.
juina news

Um crime bárbaro, covarde e violento aconteceu no dia 16 de outubro de 2017 no bairro módulo 05, onde um adolescente de 17 anos, por nome de Cristhian Marques da Silva foi morto a golpes de faca e posteriormente degolado, e o irmão do mesmo que é especial e na época tinha 15 anos também foi esfaqueado no pescoço, porém socorrido com vida e levado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Não demorou muito para que a polícia chegasse ao autor do crime, Jazonias Araújo dos Santos, na época com 56 anos, que após cometer o crime enviou mensagens em um aplicativo whatsApp para familiares narrando o ocorrido e confessando a violência praticada contra seus enteados.

Jazonias o padrasto assassino empreendeu fuga em uma bicicleta, sendo reconhecido e preso pela polícia militar na estrada que liga Juína a Juara.

Quase dois anos se passaram e na data deste dia 23 de julho aconteceu o júri popular de Jazonias Araújo dos Santos, sendo presidido pelo juiz de direito da comarca de Juína, Vagner Dupim Dias, com a presença do representante do ministério público, através do promotor de justiça, Danilo Pretti Vieira, e ficando a defesa do réu a cargo um advogado nomeado pelo estado, Marcos Villaça.

Ao final dos debates entre defesa e acusação o júri entendeu que Jazonias Araújo dos Santos, era culpado pelos crimes, sendo que para o crime de homicídio o mesmo foi sentenciado a 29 anos de prisão, e pelo crime de tentativa de homicídio, mesmo havendo uma redução, o réu foi condenado a 20 anos de prisão, totalizando 49 anos de reclusão.

O juiz Wagner Dupim Dias falou ao Juína News sobre o cronograma de júris que acontecem nas cinco temporadas por ano, onde o objetivo é elucidar casos de júris antigos e também casos que foram de grande repercussão na mídia.

O magistrado ressaltou que um júri dessa magnitude torna-se muito cansativo, uma vez que se envolveu dois crimes e os mesmos foram julgados no mesmo dia, onde o tempo de debate entre réplica, tréplicas e outros procedimentos costumam atrasar a conclusão dos trabalhos, porém hoje conseguiu realizar um grande júri e prestar contas à sociedade sobre o importante papel da justiça para o cidadão.

O Juiz Wagner Dupim explicou que a sentença foi dada pelo conselho formado no tribunal do júri, onde o mesmo foi composto por sete membros da sociedade de forma democrática, proferindo uma sentença, julgada razoavelmente alta, porém justa diante da materialidade dos crimes cometidos.

O promotor de justiça criminal Danilo Pretti Vieira, falou ao site Juína News, e disse que o júri de Juína fez justiça, deixando claro que não aceitam no convívio da sociedade pessoas que cometem crimes bárbaros como o que foi julgado no dia de hoje.

O promotor de justiça falou ainda sobre a investigação da polícia que culminou com as provas que foram produzidas no inquérito, e apresentadas em plenário, e que o júri só aconteceu porque a polícia civil fez um bom trabalho de investigação e a polícia militar que o prendeu, ressaltando ainda a importância dos agentes penitenciários que foram os responsáveis de manter o réu preso até o julgamento, onde o ponto chave ficou por conta do júri.

Após o júri popular Jazonias já condenado foi levado novamente para o CDP e cumprirá sua pena preso no regime fechado, ele deverá progredir de pena para o regime semiaberto no ano de 2037.

&quote;&quote;

juina news

Link da Notícia

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.